sexta-feira, 24 de novembro de 2017


PROJETO DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL – PRA
O PRA está  previsto no atual Código Florestal. Antes da Lei entrar em vigor, elaborei um projeto, no Paraná, de recuperação da Reserva Legal utilizando-se de gado de forma manejada para eliminar as brachiárias. Advinha? O órgão ambiental “competente” caiu de pau em cima de mim. Disse que iria me representar no CREA: “ONDE SE VIU COLOCAR GADO NAS ÁREAS AMBIENTAIS” argumentaram. Deixei “o pau tourar”, nem liguei, pois, o tempo me daria razão e DEU!!!

A área está toda regenerada. Vide a foto: No primeiro plano temos a cana de açúcar, no meio a App, em seguida o gado comendo as pastagens e ao fundo a área de mata nativa. Hoje o processo é conhecido como INTEGRAÇÃO DE PASTAGENS E FLORESTA.

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

CRISE COISA NENHUMA
Em época de crise aguce mais a sua criatividade. Na crise é quando as oportunidades aparecem. Como disse um amigo e parceiro eng. Agrônomo Mário Barreiro – o cavalo arreado não passa por você toda hora. Agarre-o.
Formei-me na ESALQ há mais de 40 anos. Lecionei na Agronomia por 20 anos. Sou perito judicial há 30 anos e por aí a fora. Ao longo dos anos acumulei experiência, mas o tempo passou de repente. Ficou a energia intelectual, mas a força física foi diminuindo. Tenho ainda muito fôlego, mas não o mesmo de quando tinha 30 anos. Empreste-me a sua força que trocarei com a minha experiência. Façamos parceria!

Entre em contato comigo. Já estou com alguns parceiros e estamos colhendo bons resultados.


terça-feira, 7 de novembro de 2017

 Reserva Nacional do Cobre e Associados (RENCA)

A RENCA é uma área de 46.450 km2 criada em 1984. A permissão para o desenvolvimento de pesquisa e lavra mineral, dada pelo Decreto n° 9.142/2017, aplica-se apenas às áreas onde não haja restrição de outra natureza. Fica entre os estados do Amapá e do Pará e tem o tamanho equivalente ao da Dinamarca.

O Decreto nº 9.159, que revoga outro decreto, o de número 9.147, de 28 de agosto de 2017, que extinguiu a Reserva Nacional do Cobre e Associados (Renca), está publicado no Diário Oficial da União. Ele foi assinado pelo presidente Michel Temer. A decisão de extinguir a Renca foi questionada por ambientalistas, artistas e repercutiu na mídia internacional.
Na contracapa do meu livro Código Florestal na Agronomia escrevi que devemos produzir de forma sustentável sem ferir o meio ambiente e adequar – se à natureza e à Lei, sem sacrificar a produção, seja ela de alimentos ou de exploração mineral. A RENCA tem uma fortuna no seu subsolo que se explorada de forma adequada trará para o Brasil renda considerável. Existem projetos apropriados, como EIA/RIMA – Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto no Meio Ambiente. O resto é apelo infundado. Artistas, modelos e ambientalistas de plantão não têm competência sobre o assunto. Só fazem barulhos!!!

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Seja um profissional bem-sucedido no Agronegócio. Mande a crise para PQP. Torne-se liberal, dono do seu próprio nariz. Não tente resolver os problemas sozinho! Consulte-me. Sou Agrônomo, Escritor de livros: Código Florestal, Questões Ambientais, Apostila sobre Avaliações de imóveis, Controle do Aedes, Escorpião e outras pragas urbanas, professor de Faculdade de Agronomia durante 20 anos, Perito Judicial em centenas de processos, etc.
Montei 05 (cinco) Dedetizadoras, de 01 a 35 anos todas atuando com sucesso. Formei milhares de agrônomos e engenheiros ambientais. Eu posso lhe ajudar sair desta crise. Contato: e-mail agronomoyamamoto@gmail.com  
Fones: (18) 3908 3399/98104 3399(WhatsApp)/ 99771 5639. Visite o site:


quarta-feira, 25 de outubro de 2017

                            ESALQ/USP

Com 17 anos juntou sua trouxa e partiu para Piracicaba- SP, onde fica a Esalq, uma das melhores escolas de agronomia do mundo.  Marcio, amigo de infância, foi com ele. Eles se alojaram na pensão da Dona Ana. Faltavam 90 dias para o vestibular. Como se dizia na gíria estudantil Luiz era um verdadeiro CDF. Estudava dia e noite na pensão e frequentou um curso intensivo pré-vestibulando.
Falava toda noite debruçado sobre a mesa de estudo, com os mesmos amiguinhos da infância, que doravante Luiz passou a chamar de amigos da terra. Pediu a eles dicas de como se proceder para passar no vestibular. Os seus amigos pareciam dar palavras de incentivos. Assim ele ficava autoconfiante, mais seguro de si, espantava o sono, estudava mais e pressentia dicas do que cairiam nas provas.
Chegou o vestibular e passou entre os cinco primeiros colocados.
Foi ao cabelereiro e pediu que raspasse o cabelo com a máquina número zero. Saiu de lá careca e foi se matricular.
Após a matrícula, quando se preparava para ir para casa, encontrou o professor do cursinho que propôs:
- Luiz, você foi brilhante. Praticamente em 90 dias de aulas foi o único que passou entre os primeiros colocados.
- Obrigado professor, foram suas aulas que me ajudaram muito, respondeu o futuro engenheiro agrônomo.
- Luiz, o cursinho quer fazer-lhe uma proposta: Você quer ser monitor de aulas no cursinho?
Luiz aceitou na hora. Precisava de um carro para poder ir à faculdade e trabalhar nas horas de folga para se manter na Dona Ana ou em república de estudante. Além disso, tinha que custear os estudos. Ligou para o seu pai e disse que conseguiu trabalho para se sustentar e que não precisava mais mandar dinheiro. O seu pai disse que daria um fusca usado se conseguisse se manter e se sustentar e o carro também.
O pai arrumou um Fusca ano 1.968- seminovo. Foi o seu primeiro e o mais adorável carro que já teve em toda a sua vida.
O fato mais importante é que ganhou dinheiro trabalhando. Vendeu o conhecimento adquirido. Estava demonstrado que Luiz estava predestinado a ganhar a vida trabalhando.
Com o fusca, ele ia às aulas e arrumou outros “bicos", e assim consegui-se sustentar. Na realidade ainda o dinheiro não era suficiente. Tudo era caro. Os livros nem pensar em comprar. Na falta de condições, Luiz não se apertava. Era o maior frequentador da biblioteca.
A lida era dura. Sempre conversava com os seus amigos da terra e foi numa dessas conversas que eles lhe fizeram entender.
- Você cresceu. Você já é um adulto e futuro doutor da terra. Você precisa do maior amigo do mundo. Você precisa de Jesus. Então ele resolveu procurar o maior Guia Espiritual: JESUS.


domingo, 22 de outubro de 2017

Na postagem anterior muitas pessoas me perguntaram porque preferi paz e prosperidade ao invés de riqueza, “grana”. O dinheiro é vendaval como na composição de Paulinho da viola. Dinheiro eu gosto e quem não gosta? Entretanto, na atual conjuntura brasileira, muitos que arrecadaram milhões ou bilhões de reais, via corrupção, ou estão presos ou estão com medo de ir para prisão.


 Capítulo I
            INFÂNCIA

A primeira vez que Luiz teve visão de entidade que parecia querer-lhe transmitir uma mensagem aconteceu quando ele tinha um pouco menos de 8 (oito) anos de idade. O Sr. Francisco ou compadre do pai de Luiz era baiano, morador do sitio da família em um lugar chamado bairro da Alegria. O seu pai batizava todos os filhos do Sr. Francisco e assim ficou sendo compadre do seu pai e também compadre de todos do sítio.
         O compadre preparava o cavalo do menino Luiz e ele ia para o arrendamento onde a família plantava batatinha. O pai e os ajudantes iam de trator e o menino a cavalo. Cortava o caminho passando por meio de uma mata e atravessava o córrego, afluente de um rio da região.
         Certa vez o cavalo se assustou com alguma coisa. Pulou e derrubou o menino no chão. Saiu correndo em disparada. O trator com o pai e os camaradas – nome que se dava aos ajudantes do sitio, já devia estar no arrendamento. O menino estava estatelado no chão.
         Ele não chorou. Ficou muito apavorado. Horas se passaram, foi se acalmando até que se debruçou e viu um buraquinho onde uma abelha entrava e saia retirando um grão de terra. Ficou olhando o trabalho daquele inseto.
Começou a conversar com a face encostada no chão. Ouviu vozes que diziam para se acalmar.
- Quem são vocês? Indagou Luiz.
- Somos seus amigos da terra. Nós moramos aqui há séculos.
- O que é século? Perguntou.
- Desculpe meu amiguinho. São anos que se passaram. Estamos aqui há muito tempo, bem antes de você nascer. Você pode nos chamar simplesmente de amiguinhos. Sempre que precisar encoste o seu rosto, no travesseiro da sua cama e converse conosco. Somos a resposta para os seus problemas, para as suas aflições e para suas dúvidas.
O menino acordou na sua cama. O “camarada” de nome Mané Paraguai viu-o debruçado no chão e levou até a sua casa.
A mãe estava toda apavorada. Até chamou o Dr. Carlos, médico e amigo da família. Ele disse que não tinha ferimento nenhum. O menino estava bem.
O compadre nunca mais preparou o cavalo. Nunca mais o menino andou a cavalo. Ia ao arrendamento juntamente com os outros. Na carreta do trator Fordinho. A sua função era de costurador de sacos, de batatinha ou amendoim, dependendo da safra.
Sob o sol causticante, após uma jornada árdua de trabalho, às vezes com calos nos dedos de tanto costurar a boca de sacos, deitava no chão e conversava com os seus amiguinhos.
- Amiguinhos, será que o meu futuro é ser costurador de sacos?
- Não, eles respondiam. Você vai ser o doutor da terra, vai estudar e dedicar a sua vida à terra.
O menino não tinha entendido como poderia chegar lá. Um dia na hora da boia fria, perguntou para o seu pai.  
- Como vou conseguir ser doutor da terra?
- Luiz, você pode ser agrônomo.
- Agro o que? Perguntou
- Quando você crescer você poderá fazer faculdade de agronomia e ser agrônomo.
Com menos de oito anos ele já tinha escolhido a profissão. Ia ser agrônomo. O melhor agrônomo do mundo.
A noite, com a cabeça sobre o travesseiro voltou a conversar com seus amiguinhos.
- Vou ser agrônomo. Doutor da terra como vocês me mostraram o caminho.
Com um pouco mais de 8 anos, sua avó levou-o para uma casa que o seu pai alugara na cidade. Foram em principio três irmãos. Isa, Mara e Luiz. Matricularam no mesmo grupo escolar que foi o começo de sua vida acadêmica. Se virar doutor da terra, o maior mérito foi da avó que cuidou dos três netos, e depois de mais dois irmãos de Luiz.


terça-feira, 17 de outubro de 2017


AGRONOMOYAMAMOTO: Perfil
A paz está ao alcance de todos. Apenas as pessoas que acreditam em Deus alcançarão a paz e a prosperidade. Se você quer ficar de bem com a vida afaste-se de crenças errôneas. Todos podem ficar no reino de Deus. Ele deseja que todos os seus filhos gozem de abundâncias infinitas. Quem não quer ver o seu filho numa boa?
A primeira lição: A paz e prosperidade estão circulando por aí abundantemente e com excesso divino. Não deixe a oportunidade passar por você como se o vento passasse. Agarre-a sem titubear. A oportunidade demora a passar de novo.
A lição mais importante na vida é perseguir obsessivamente aquilo que você quer atingir. Pense a todo instante: quero a paz e prosperidade. Se estiver à toa na vida, pense em como alcançar isso. Se você estiver com seus amigos não jogue conversa fora a todo momento. Procure conversar sobre assuntos úteis. Você corre o risco de ser chato, mas é preferível ser chato do que ser superficial.
Se estiver em viagem numa estrada sem muito movimento, converse com Deus como se Ele estivesse ao seu lado, entregue seus problemas a Ele e peça tudo aquilo que deseja. Você conseguirá. Tenha fé e fale com Deus como se Ele fosse seu amigo mais íntimo.
Muitos autores escreveram sobre o pensamento positivo e os resultados sensacionais alcançados. O Poder todo mundo tem, você também possui. Basta acreditar. Não basta somente o Poder do pensamento positivo. Você tem o dom excepcional que Deus lhe deu. Deu também a todos seus filhos os mesmos poderes. Deus não daria para um protelando outro filho Seu. Ambos os filhos têm o mesmo poder. Basta descobrir a sua vocação e exercer com toda fé. Experimente que dará certo.
O relato foi inspirado nos ensinamentos adquiridos como agrônomo.
Existem várias formas de vencer na vida. A maioria acha que trabalhando e poupando tostão por tostão um dia terá um milhão. Se você ganhar um salário mínimo e não gastar nada e poupar todo o dinheiro, no fim de cem anos você pode chegar lá se não morrer antes. À medida que vamos ganhando idade como se diz em japonês, cada vez mais precisará procurar alguma forma de empreender negócio dentro da sua especialidade.
O ser humano precisa pelo menos de duas coisas: Inspiração e Transpiração. Quando se é jovem tem energia de sobra para transpirar. Trabalhar usando a força física e transpirando bastante se consegue juntar um dinheirinho. À medida que a idade vem, cada vez precisará mais inspiração e menos transpiração. Por mais longevo que seja a idade boa para inverter a relação transpiração para inspiração seria em torno de quarenta anos, mas não tem nenhum impedimento recomeçar mais tarde. Um dos homens que alcançou o topo e foi considerado o homem mais rico do mundo começou a empreender novo negócio aos sessenta anos de vida. Aposentou como professor e ingressou no mercado imobiliário. Este cara pode ser você.
Uma coisa importante que aqui registro: não precisa roubar ou enganar os outros e nem se meter em corrupção. A vida é repleta de oportunidades. Procure e achará.

Publicarei a continuação deste relato constantemente.